"Hoje foi dado o primeiro passo para o que julgamos ser o necessário para que a suinicultura portuguesa ganhe sustentabilidade. Não houve condições para fazer o encosto ao preço de Lérida, Espanha, mas sai daqui uma subida de cinco cêntimos do preço", disse João Correia, um dos promotores do movimento de suinicultores que desde o início de dezembro tem protestado contra o baixo preço pago aos produtores pela carne de porco.


"Acredito que dentro duas ou três semanas os suinicultores portugueses possam receber o preço que se recebe em Espanha. Entendemos que começam a existir condições para que preço ao produtor nacional possa ser o mesmo do produtor de Espanha", explicou.


"Acreditamos que em duas semanas não vamos ter uma tendência mas sim um preço indicativo em Bolsa. Agora o mercado tem a indicação de uma subida do preço de cinco cêntimos e cada um vai fazer o melhor negócio possível", explicou.