A leitura da sentença dos dois homens detidos na semana passada pela PSP, depois de uma perseguição policial em Loures foi esta quinta-feira adiada, depois de um erro no sistema de gravação ter obrigado à repetição da anterior sessão.

De acordo com a Lusa, a leitura da sentença foi remarcada para a próxima segunda-feira, pelas 14:00, no Tribunal da Comarca Lisboa Norte, em Loures.

Os dois homens de 17 e 20 anos começaram a ser julgados em processo sumário no dia 26 de fevereiro e tiveram uma nova sessão de julgamento na segunda-feira passada, à qual não compareceram, e na qual foram ouvidas três testemunhas ligadas a este caso.

Em virtude de um erro do sistema de gravação, a sessão de segunda-feira, onde foram ouvidos dois agentes da PSP e o morador da casa que tinha sido alvo de uma tentativa de assalto pelos suspeitos, foi esta quinta-feira novamente repetida.

No dia 25 de fevereiro, os dois detidos e um outro suspeito foram perseguidos por agentes da PSP depois de um alegado assalto a uma residência no concelho de Loures.

Dois dos suspeitos foram intercetados num canavial perto da estação ferroviária, mas um deles ainda continua em fuga.

Na perseguição, dois agentes da PSP, de 23 e 26 anos, que pertenciam à esquadra de São João da Talha, foram colhidos mortalmente por um comboio entre a Bobadela e Sacavém.

Em tribunal, dois dos agentes da PSP que participaram nesta operação confirmaram que os detidos correspondiam à descrição que tinha sido feita pelos colegas que os tinham avistado junto à residência assaltada.

Os agentes disseram ainda que os detidos estavam já referenciados pela PSP e que, há um mês, tinham fugido de uma esquadra de Alcântara.

Já na sequência da detenção deste caso, os dois detidos tentaram fugir da esquadra de Odivelas, pelo telhado.

No final da sessão desta quinta-feira os advogados dos dois arguidos recusaram-se a prestar declarações aos jornalistas.