A PSP anunciou esta quarta-feira que detetou dezenas de infrações muito graves, a rondar os 15 mil euros cada, em empresas de segurança privada, sendo a maioria relacionada com contratos e ausência de registo criminal dos vigilantes.

As contraordenações foram registadas durante uma operação realizada pelo Departamento de Segurança Privada da Polícia de Segurança Pública, na segunda-feira e terça-feira, a empresas de segurança privada dos distritos do Porto, Aveiro, Braga e Viseu.

Fonte da PSP disse à agência Lusa que a operação resultou na fiscalização de seis entidades de segurança privada e deteção de “dezenas de contraordenações”, que são consideradas “infrações muito graves” e rondam os 15 mil euros.

A mesma fonte adiantou que a maior parte das infrações está relacionada com a falta de elementos nos contratos de prestações de serviço entre as empresas de segurança privada e os seus clientes, nomeadamente ausência do registo de criminal nos ficheiros individuais dos vigilantes.

Segundo a PSP, ausência do contacto permanente, inexistência de recursos humanos necessários para funcionamento da empresa, falta de livro de reclamações, não identificação do alvará em publicidade, falta de equipamentos de segurança obrigatórios, como câmaras de videovigilância, foram algumas das infrações detetadas.

A mesma fonte referiu também que três empresas vão ser notificadas para suspender a atividade de segurança privada devido ao incumprimento de alguns requisitos exigidos por lei, designadamente por falta de pessoal e questões tecnológicas.

No âmbito da operação foi igualmente fiscalizada uma empresa formadora, que, além de ministrar cursos a seguranças privados, dedicava-se também à formação de militares e polícias, uma atividade que é vedada à sociedade civil, sendo considerada uma contraordenação muito grave, de acordo com a PSP.

A fonte policial referiu que esta empresa formadora da região Norte dá formação a militares e policias, que muitas vezes se convertem em mercenários para combater no estrangeiro, como Israel e Afeganistão.

Os elementos do Departamento de Segurança Privada da PSP realizam ainda, na segunda-feira, uma inspeção ao estádio de futebol João Cardoso, em Tondela, onde se realizou o jogo da primeira liga Tondela-Boavista, tendo verificado infrações relativas às autorizações legais dos sistemas de segurança e falta de equipamentos de segurança obrigatórios, nomeadamente câmaras de vídeo nos acessos ao recinto desportivo.