A Polícia Nacional de Espanha deteve, na quarta-feira, um cidadão português, de 36 anos, que, após perder um avião de Vigo para Israel, agrediu um agente e disse que apenas reconhecia a lei judaica.

Em comunicado divulgado nesta quinta-feira, a polícia conta que “pelas 10:15 de ontem [quarta-feira], um cidadão português aproximou-se do balcão de uma companhia aérea com a qual tinha contratado uma passagem de Vigo para Israel, com escala em Madrid, onde o informaram que havia chegado tarde e que o voo já tinha partido”.

Aborrecido, enfrentou as empregadas da companhia e começou a proferir gritos e a fazer movimentos bruscos, pelo que foram chamados agentes da Polícia Nacional de serviço no aeroporto” que tentaram acalmar o passageiro que “não acatou e quis que lhe solucionassem o problema.”

Ao passageiro foi dito que não era possível fazer nada porque não chegou à hora de saída do avião, sendo a única opção comprar um novo bilhete, conta a polícia.

Após “muitas tentativas” para que se acalmasse, o passageiro foi levado para as instalações policiais no aeroporto de Vigo, sendo que quando estava a ser encaminhado terá gritado que “não reconhecia os agentes, nem as leis espanholas e apenas se regia pela lei judaica”.

De acordo com a polícia espanhola, momentos depois, e quando se preparava para sair das instalações, o passageiro agrediu um dos agentes, tendo sido necessária a intervenção de um segurança e de um agente da Guarda Civil que se encontravam de serviço.

O agressor foi levado para as instalações da polícia de Vigo-Redondela, onde ficou detido.