A Polícia Judiciária (PJ) deteve quatro pessoas pela alegada autoria dos crimes de roubo qualificado, sequestro, dano e detenção de armas proibidas, ocorridos em novembro num estabelecimento de um centro comercial em Lagoa, Famalicão, foi anunciado esta terça-feira.

Em comunicado, a PJ refere que os factos ocorreram de 2 para 3 de novembro, tendo os assaltantes, dois homens e duas mulheres, «manietado» o segurança do centro comercial, «que esteve sequestrado durante cerca de sete horas».

«Os autores atuaram encapuzados, enluvados e armados com uma espingarda caçadeira com os canos serrados e um cutelo de grandes dimensões», acrescenta o comunicado.

Segundo a PJ, os assaltantes, para além de terem provocado «diversos danos materiais«, incluindo a destruição de praticamente todo o sistema de videovigilância do centro comercial, também se apoderaram de elevadas quantias que se encontravam no cofre do estabelecimento.

Um cofre que lograram abrir com recurso a máquinas rebarbadoras do próprio estabelecimento.

Levaram ainda «inúmeros» produtos e máquinas que ali se encontravam expostos para venda, no valor de vários milhares de euros.

Na sequência das diligências efetuadas, a PJ apreendeu, na posse dos suspeitos, caçadeiras de canos serrados, uma pistola, munições e cartuchos de caça, uma viatura, diversos artigos roubados no estabelecimento comercial e dinheiro.

Foram ainda apreendidas peças de vestuário e outros objetos provenientes de vários furtos com arrombamento, que, segundo o comunicado da PJ, anteriormente tinham praticado em armazéns localizados na zona de Vila Nova de Famalicão, distrito de Braga.

Os detidos, com idades compreendidas entre os 36 e os 51 anos, dois empregados fabris e os outros dois sem ocupação laboral, vão ser presentes a primeiro interrogatório judicial para aplicação das respetivas medidas de coação.