A Polícia Judiciária (PJ) anunciou esta quinta-feira a detenção de quatro homens e uma mulher, alegados autores dos crimes de roubo agravado, extorsão continuada e detenção de armas proibidas, praticados na zona do Entroncamento desde meados do ano passado.

Em comunicado, o Departamento de Investigação Criminal de Leiria da PJ refere que os detidos, com idades entre os 18 e os 49 anos, foram presentes a primeiro interrogatório judicial, «tendo ficado sujeitos à obrigação de apresentações trissemanais em posto policial da área da residência».

Fonte da PJ explicou à agência Lusa que três dos elementos detidos «constituem um grupo que se dedicava desde o início de 2014, de forma mais ou menos sistemática, a provocar desacatos, especialmente em estabelecimentos comerciais, para forçarem os comerciantes a entregar quantias que iam extorquindo sucessivamente sob a ameaça de fazerem novos distúrbios».

Esta fonte policial adiantou que a situação gerou um «clima de medo e receio, sobretudo junto dos comerciantes do Entroncamento».

Os mesmos elementos são ainda suspeitos de, em dezembro último, abordarem sucessivamente dois homens, «com a mesma lógica de extorsão», sendo que numa das ocasiões, para com uma dessas vítimas, «utilizaram uma arma de fogo».

O grupo terá atuado de forma idêntica com outras pessoas que, receando pela sua integridade física, não avançaram com procedimento criminal, o mesmo sucedendo com comerciantes devido ao medo e receio que os arguidos incutiram, informou a fonte da PJ.

Quanto aos outros dois arguidos, um homem e uma mulher, a PJ acrescentou que foram detidos por posse de armas proibidas, espingardas e munições de diverso tipo e calibre, apreendidos na sequência de buscas domiciliárias.

Todos os arguidos, sem ocupação laboral definida, residem na zona do Entroncamento, distrito de Santarém, sendo que dois deles são irmãos.

Um dos suspeitos tem antecedentes criminais por violência doméstica e ofensa à integridade física com arma de fogo e outro por furto, afirmou a PJ.