A Polícia Judiciária deteve, à saída do tribunal da Maia, um homem de 40 anos que dois dias antes fora detido por alegada prática de crimes de burla informática e tinha saído em liberdade, anunciou hoje a PJ.

O homem, um cidadão estrangeiro sem profissão definida, foi detido pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção (UNCC), no âmbito de uma investigação que decorre desde 2013, lê-se num comunicado da PJ.

A detenção deve-se à suspeita da prática de crimes semelhantes aos que levaram à primeira detenção do homem que, segundo a PJ, atuava em hotéis e ginásios de luxo, onde abria os cacifos dos utentes.

Após abrir os cacifos, o homem fotografava os cartões de crédito, utilizando os dados destes para adquirir bens através da internet, causando prejuízos a várias pessoas, num total estimado em 60.000 euros.