A Polícia Judiciária (PJ) deteve quatro homens suspeitos de sequestro agravado, roubo e agressões violentas a um outro indivíduo, revelou esta terça-feira aquela polícia em comunicado.

A Unidade Nacional Contra Terrorismo (UNCT), «localizou e deteve quatro homens, com idades compreendidas entre os 19 e os 22 anos, presumíveis autores da prática dos crimes de sequestro agravado, roubo agravado, ofensas à integridade física qualificada, coação agravada e detenção de armas proibidas», refere a PJ, sem especificar o local dos acontecimentos.

Segundo a PJ, os detidos queriam fazer «justiça pelas próprias mãos» ao sequestrarem e coagirem a vítima para dar informações sobre um indivíduo alegadamente responsável pelo roubo de um automóvel.

A vítima, sobre a qual a PJ não disponibilizou quaisquer dados, sofreu «bárbaras e violentas agressões», foi transportada na bagageira de um carro e posteriormente abandonada, sem qualquer tipo de assistência.

Em declarações à agência Lusa, fonte da PJ disse que os factos remontam ao mês de março, tendo os quatro homens sido detidos esta terça-feira.

A situação está relacionada «com o furto de uma viatura e os autores acharam que a vítima que abordaram saberia do paradeiro do pretenso autor do furto da viatura, como tal sequestraram-no e levaram-no para um local ermo onde o agrediram selvaticamente e de forma desumana e cruel», disse a fonte.

A mesma fonte disse também que o homem, na casa dos 25 anos de idade, esteve sequestrado algumas horas e, depois de abandonado, foi atendido no hospital, em muito mau estado.

Os homens, que não tinham apresentado queixa pelo roubo da viatura que procuravam, serão agora presentes a um primeiro interrogatório judicial, para aplicação das medidas de coação.