A Polícia Judiciária (PJ) anunciou hoje a detenção de um agricultor de 36 anos suspeito de atear um fogo em Chaves, elevando para 85 os detidos pelo crime de incêndio florestal este ano.

O homem, detido pela através da Unidade Local de Investigação Criminal de Vila Real, está “fortemente indiciado” pela prática do crime de incêndio florestal em Póvoa de Agrações, concelho de Chaves.

Segundo a PJ, o fogo ocorreu cerca da 01:00 do dia 01 de agosto e colocou em perigo uma área florestal “que apenas não foi consumida devido à rápida intervenção dos meios de combate, designadamente dos bombeiros”.

O suspeito foi presente a interrogatório judicial tendo ficado sujeito à obrigação de apresentações trissemanais às autoridades policiais da zona de residência.

No mês de outubro, este é já o terceiro suspeito de atear um fogo que foi detido pela unidade local da PJ no distrito de Vila Real.

A Polícia Judiciária já identificou e deteve 85 pessoas pela autoria do crime de incêndio florestal este ano em Portugal.

Um suspeito também detido em Santa Comba Dão

A Polícia Judiciária (PJ) também anunciou a detenção de um homem de 46 anos suspeito de ter ateado um incêndio florestal no concelho de Santa Comba Dão, a 28 de setembro.

Segundo a PJ, o homem, solteiro e desempregado, é suspeito de ter ateado um incêndio "em povoamento de acácias e de eucaliptos, tendo ardido apenas uma área aproximada de 50 metros quadrados em virtude de ter sido pronta e eficazmente combatido pelos bombeiros.

"O suspeito colocou o incêndio utilizando chama direta e atuou num quadro de alcoolismo", acrescenta.

A PJ refere que o homem já tinha antecedentes criminais por crimes da mesma natureza. Depois de presente às autoridades judiciárias para primeiro interrogatório ficou em prisão preventiva.

Nesta detenção, a PJ contou com a colaboração do Núcleo de Proteção da Natureza da GNR de Santa Comba Dão.