A Polícia Judiciária (PJ) anunciou esta quinta-feira a detenção de uma agente de execução por suspeita de crimes de peculato, falsidade informática e branqueamento, estando já apurado um valor global de fraude superior a 2,5 milhões de euros

Em comunicado, a Polícia Judiciária adianta que a suspeita, de 53 anos, tem escritórios na zona da Grande Lisboa, que foram alvo de busca durante uma operação realizada por elementos da Unidade Nacional de Combate à Corrupção (UNCC), no âmbito de um inquérito dirigido pelo Ministério Público - DIAP de Lisboa

No decurso da operação, foram também realizadas buscas domiciliárias, tendo sido apreendido diverso material relacionado com a prática da atividade criminosa em investigação.

A investigação prossegue com vista à continuação de recolha de prova e ao apuramento do prejuízo causado ao Estado Português e aos exequentes através do desvio para proveito próprio de verbas referentes aos processos de execução, estando já indiciado um valor global de fraude superior a dois milhões e meio de euros”, sublinha a PJ em comunicado

A detida vai ser sujeita a primeiro interrogatório judicial.

A operação contou com a colaboração da Comissão Para o Acompanhamento dos Auxiliares da Justiça (CAAJ).