A Polícia Judiciária do Porto deteve um cozinheiro de 47 anos suspeito de atear fogo ao quarto de uma pensão na Póvoa de Varzim.

Em comunicado, a PJ do Porto esclarece que o “presumível autor do crime de incêndio” terá agido “num quadro de vingança, por ter sido despejado do quarto por falta de pagamento”.

De acordo com a PJ, o alegado crime acontece “na noite de 28 de março”, altura em que o homem “terá ateado um foco de incêndio numa mala de roupa e num colchão, presumivelmente com recurso a um isqueiro”.

A PJ acrescenta que o incêndio aconteceu “num quarto de uma pensão, ocorrido numa freguesia do concelho da Póvoa de Varzim”.

O incêndio só não assumiu maiores proporções e não causou prejuízos mais elevados dada a pronta deteção e a imediata intervenção do proprietário, pese embora a potencialidade de colocar em perigo a vida e a integridade física de outras pessoas que se encontravam na residência”, descreve aquela força policial.

De acordo com a PJ, o detido é um cozinheiro de 47 anos, casado, e vai ser “presente às autoridades judiciais para aplicação das medidas de coação tidas por adequadas”.