As operações para chegar ao interior do navio pesqueiro português Santa Ana, que hoje naufragou próximo de Cabo Peñas, nas Astúrias, foram suspensas e serão retomadas na terça-feira de manhã, anunciaram as autoridades espanholas.

O naufrágio causou dois mortos, um português e um espanhol, e seis tripulantes continuam desaparecidos (um português, três espanhóis e dois indonésios), tendo já sido resgatado com vida o capitão do navio, de nacionalidade espanhola.

As buscas foram interrompidas esta segunda-feira, devido ao estado do mar e à chegada da noite. A forte rebentação nas rochas impediu os mergulhadores da Guarda Civil espanhola de chegarem ao interior do navio durante o dia de hoje.

As autoridades espanholas estimam poder conseguir chegar ao navio na terça-feira de manhã, aproveitando a maré baixa.

Segundo informação das autoridades espanholas, as famílias dos tripulantes estão a caminho de Avilés, onde já foram entregues à polícia os dois corpos encontrados e onde, também, continua hospitalizado o único sobrevivente do acidente.

Armando Soares, representante em Portugal do armador do navio, Pescas Balayo, disse à agência Lusa que o naufrágio pode ter sido causado por um baixio.

Entretanto, o município galego de Muros decretou três dias de luto oficial.