A operação da companhia aérea SATA entre as ilhas dos Açores foi hoje retomada, estando a processar-se com normalidade embora com atrasos pontuais, enquanto um voo internacional foi obrigado a divergir devido ao mau tempo.

À agência Lusa, o porta-voz da transportadora, Luís Filipe Cabral, explicou que a operação da SATA Air Açores, que garante as ligações entre as nove ilhas do arquipélago, “está a decorrer com normalidade”, registando-se “atrasos pontuais”.

“Em relação à SATA Internacional [que assegura as ligações para o exterior do arquipélago], temos um voo proveniente de Boston com destino à ilha Terceira que divergiu para Lisboa devido às condições atmosféricas”, declarou Luís Filipe Cabral.

Segundo o porta-voz da companhia aérea açoriana, neste caso “irá ser realizado um voo extraordinário durante a tarde de hoje para transportar os 170 passageiros para a Terceira”.

Luís Filipe Cabral esclareceu ainda que o voo extraordinário Lisboa-Ponta Delgada, que estava previsto sair do aeroporto da Portela esta manhã, está atrasado devido a “problemas técnicos”.

“Como este voo está atrasado, significa que o voo Ponta Delgada-Porto, que seria feito pelo mesmo equipamento, também está atrasado”, explicou.

Na segunda-feira, o mau tempo que assolou o arquipélago dos Açores originou o cancelamento de 36 voos da SATA, o que afetou 1.616 passageiros, informou a transportadora.

Neste dia, o porta-voz da SATA esclareceu que todos estes passageiros foram reacomodados em voos que se realizam hoje, explicando que “toda a operação foi reajustada” para que os passageiros possam ver a sua situação resolvida.

Luís Filipe Cabral informou que, além dos voos regulares previstos para hoje, estavam agendados alguns voos extraordinários para reacomodar todos os passageiros que ficaram em terra.
 

Cerca de 1.500 pescadores sem ir ao mar há dois dias


O mau tempo está hoje a obrigar 1.500 pescadores de sete das nove ilhas dos Açores a continuar em terra pelo segundo dia consecutivo, situação que, a manter-se, terá consequências nos rendimentos, disse o presidente da Federação das Pescas.

"Vamos continuar a aguardar melhorias nas condições do tempo para que os pescadores voltem a exercer a sua atividade. Neste momento, as previsões ainda carecem de alguma atenção especial e, enquanto assim for, obviamente que não irão sair para o mar e estamos a prever [que a situação se mantenha] durante mais cerca de dois dias”, afirmou à agência Lusa o presidente da Federação das Pescas dos Açores, Gualberto Rita, acrescentando que "estão em terra nas ilhas dos grupos central e oriental 300 embarcações".

Adiantando que a comunidade piscatória das ilhas de São Miguel e Santa Maria (grupo oriental) e Terceira, Graciosa, São Jorge, Faial e Pico (grupo central) aguarda pelas condições meteorológicas "dos próximos dias”, Gualberto Rita considerou ser “prematuro estar a contabilizar as consequências" em termos financeiros para os pescadores.

“Mas, obviamente que nos preocupa, porque nesta altura do ano o [preço do] peixe vendido em lota é bastante alto. Era importante que tivéssemos bom tempo para os pescadores voltarem ao mar e venderem o pescado de alto valor", referiu, alertando que, sempre que há uma paragem prolongada da atividade da pesca, a situação afeta os rendimentos dos pescadores.

As ilhas dos grupos oriental e central estiveram na segunda-feira sob aviso vermelho, o mais grave numa escala de quatro, devido a condições atmosféricas adversas.

O mau tempo provocou um morto e a Proteção Civil regional contabilizou 157 incidentes, tendo as operações de socorro envolvido 440 operacionais e 109 viaturas.

Escolas, tribunais e serviços municipais fecharam e mais de 1.600 passageiros ficaram em terra devido ao cancelamento de dezenas de voos.

Hoje, o grupo oriental do arquipélago está sob aviso amarelo para chuva e trovoada, que vigora até às 24:00 (hora de Lisboa).

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) colocou ainda as duas ilhas deste grupo sob aviso amarelo para vento a partir das 18:00 de hoje até às 06:00 de quarta-feira.

Já o grupo central está sob aviso amarelo para chuva até às 24:00.

O aviso amarelo é o segundo menos grave de uma escala de quatro, representando situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.