Dois pescadores morreram, este sábado, na praia da Costa Nova, em Ílhavo, Aveiro, depois do "barco chata" onde seguiam ter naufragado, confirmou fonte do CDOS de Aveiro à TVI24. 

"Há registo de duas vítimas mortas e de um ferido que foi assistido no local e já está em casa"

Segundo a mesma fonte, o alerta foi dado pelas 7:43 e as autoridades que se deslocaram para o local conseguiram "localizar de imediato as vítimas e a embarcação", que "já está a ser rebocada para terra".

Em declarações à Lusa o comandante do Porto de Aveiro, Luciano Oliveira, disse que o alerta foi dado pelas 07:10, através de uma chamada telefónica para a Polícia Marítima feita pelos tripulantes da embarcação "Boa Vida".

Eles estariam numa situação de emergência e pediam socorro e a chamada foi interrompida abruptamente"

De imediato, a Capitania do Porto de Aveiro enviou para o local a embarcação da Estação Salva-vidas de Aveiro e uma embarcação da Polícia Marítima, tendo sido também acionado um helicóptero da Força Aérea e o navio patrulha "Cacine".

Quando chegámos ao local, verificámos que havia mais embarcações na área a fazer buscas e começámos a fazer buscas em terra e no mar e por volta das 08:00 os corpos foram recuperados na linha de água, já sem vida", adiantou o comandante.

Os cadáveres dos dois pescadores foram encaminhados para o Gabinete Médico-Legal de Aveiro.

Quanto às causas do acidente, o comandante Luciano Oliveira referiu ainda que os pescadores "estariam a largar ou recolher redes próximo da rebentação, muito junto à praia, e foram surpreendidos pelas ondas".

A primeira informação que a Polícia Marítima recebeu é que não teriam coletes, mas neste momento os pescadores estão a dizer que tinham coletes", adiantou o mesmo responsável.

Presidente da República manifesta pesar

O Presidente da República já expressou o seu pesar às famílias dos dois pescadores, de acordo com uma nota na página de internet da Presidência.

"Esta profissão de pescador, tão rica e tão ligada à nossa natureza de nação marítima, mas também tão perigosa, lembra-nos a dureza e o dramatismo da vida de muitos dos nossos compatriotas. Infelizmente, demasiadas vezes, nos confrontamos com estes trágicos acontecimentos"

Ministro do Ambiente cancela inaugurações

O ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, cancelou a visita que tinha prevista a Ílhavo, “por respeito” às vítimas e familiares das vítimas.

João Pedro Matos Fernandes, que durante a manhã participou numa ação de arborização na Mata Nacional das Dunas de São Jacinto, promovida pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) e a Águas do Centro Litoral (AdCL), tinha em agenda a inauguração de várias obras realizadas pela sociedade Polis Litoral Ria de Aveiro no concelho de Ílhavo.

O ministro deveria inaugurar, na parte da tarde, as empreitadas de “Reordenamento e Valorização do Cais da Cova do Chegado e Cais da Bestida” e de “Reordenamento e Valorização do Cais da Gafanha D`Aquém, cuja cerimónia fica adiada para data oportuna.