Junto ao posto de comando, em Pedrógão Grande, ao início da tarde começavam a chegar bens de primeira necessidade. É a resposta da população pelo trabalho dos bombeiros que combatem as chamas neste concelho e em outros dois vizinhos.

Quem quiser ajudar deve dirigir-se a este ponto, como esclareceu o presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses, Jaime Marta Soares, que apelou à população que entregue fruta e bens frescos para ajudar os homens envolvidos nas operações de combate às chamas, que provocaram já dezenas de mortos.

Tudo o que for fresco é bem-vindo”, afirmou o dirigente dos bombeiros.

O que deve doar:

-Água;

-Água com gás;

-Bolachas e barras energéticas;

-Leite e sumos;

-Alimentos com validade longa.

O que não deve doar:

Carne, peixe e fruta madura.

Veja também:

Onda solidária em Avelar

A alguns quilómetros das zonas mais afetadas, o campo de futebol do Atlético Clube Avelarense tornou-se o porto seguro de muitas famílias que fugiram às chamas. Foi neste local que muitos pernoitaram e aguardaram por notícias de familiares e amigos.

É aqui que, também, pode dirigir-se se pretender ajudar as populações afetadas e os bombeiros. Ao início da tarde, uma equipa da TVI registou o momento da chegada de várias carrinhas com água e alimentos.

 

Conta solidária CGD

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) anunciou a abertura de uma conta solidária para com as vítimas dos incêndios que afetam Pedrógão Grande e outros dois concelhos do distrito de Leiria e a doação de 50 mil euros.
A conta designa-se “Unidos por Pedrógão”, informou fonte oficial, e os donativos podem ser feitos usando o IBAN PT50 0035 0001 00100000 330 42.
O banco público anunciou ainda que vai criar “condições diferenciadas para os seus clientes atingidos pela calamidade”.

Conta solidária Montepio Geral

O grupo Monteprio anunciou um donativo a favor das vítimas dos incêndios do distrito de Leiria, no valor de 250 mil euros, e a Caixa Económica Montepio Geral criou entretanto um IBAN, em parceria com a União das Misericórdias Portuguesas, para recolha de donativos a favor das famílias afetadas: PT50 0036 0000 99105922157 78.

Conta solidária Novo Banco

Novo Banco  abriu conta solidária: PT50 0007 0000 0034 0461 9502 3

Conta Crédito Agrícola

A conta foi aberta com um donativo de 50 mil euros do Crédito Agrícola. Adicionalmente e por cada donativo (depósito ou transferência) que seja efectuado, o CA contribuirá com 1 euro, até ao limite de 50.000 euros, o que totalizará um contributo de 100.00 euros por parte do banco.

A conta solidária do CA tem o número IBAN PT50-0045 9060 402897535134 2. 

Para além da abertura de conta, o Crédito Agrícola disponibiliza 3 linhas de crédito com condições especiais, duas dirigidas a Particulares e uma a Empresas, nomeadamente “Linha de Crédito Pessoal”, “Linha de Crédito para Recuperação e obras de habitação” e “Linha de Crédito para Apoio às Empresas”.

Cáritas disponibiliza 200 mil euros

A Caritas portuguesa anunciou que tem já disponível uma verba de 200 mil euros para apoiar as vítimas dos incêndios de Pedrógão Grande.

"Quem necessitar pode dispor desses 200 mil euros", que pertencem à Cáritas Nacional. "Mas sabemos que em todas as dioceses, por iniciativa própria, se disponibilizam verbas que estejam na posse destas instituições" e que "podem ser postas à disposição".

A seguir a isto, o grande trabalho vai ser reconstruir casas, devolver os trabalhos perdidos, ajudar pessoas que perderam os seus familiares", afirmou Eugénio da Fonseca, que recusa que o setor social substitua os apoios oficiais.

E necessário "acionar os mecanismos legais", para agilizar os procedimentos burocráticos. "Estou a pensar nas seguradoras e peço que assumam os seus compromissos e não se percam em burocracias. Tudo o que tiver seguro deve ser suportado pelo seguro", disse Eugénio Fonseca à agência Lusa.

Nas próximas horas, será anunciada uma conta solidária da Caritas, explicou Eugénio Fonseca, que se mostra indignado com as consequências dos fogos todos os anos a que a instituição tem que acudir.