Os últimos quatro corpos das vítimas do incêndio de Pedrógão Grande que ainda permaneciam no Instituto Nacional de Medicina Legal (INML) de Coimbra já foram entregues às famílias, revelou hoje à Lusa fonte oficial do Ministério da Justiça (MJ).

No sábado, em Viana do Castelo, a ministra da Justiça, Francisca Van Dunem, sublinhou o trabalho desenvolvido pelo INML na sequência do incêndio fatídico de Pedrogão Grande, observando que "as autópsias foram concluídas em 48 horas e, em menos de cinco dias, todos os cadáveres foram identificados".

A identificação das 64 vítimas mortais do incêndio que deflagrou no passado dia 17 em Pedrógão Grande foi concluída na última sexta-feira, altura em que 45 corpos já tinham levantados pelas famílias, processo que foi concretizado este domingo.

Segundo o Ministério da Justiça, 18 corpos foram identificados por recurso ao ADN, tendo o processo de identificação dos 64 corpos tido início na madrugada da passada segunda-feira.

O incêndio que deflagrou há uma semana, em Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, provocou pelo menos 64 mortos e mais de 200 feridos, e só foi dado como extinto no sábado.

O fogo atingiu também os concelhos de Castanheira de Pera e Figueiró dos Vinhos, no distrito de Leiria, e chegou aos distritos de Castelo Branco, através da Sertã, e de Coimbra, pela Pampilhosa da Serra.