O provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML), Pedro Santana Lopes, foi empossado esta sexta-feira para mais um mandato de três anos, nos quais pretende continuar a dar prioridade à saúde e à ação social.

“Dentro da ação social, sublinharia a necessidade de um trabalho cada vez mais articulado, que hoje em dia já é muito bom, com a Câmara Municipal e as juntas de freguesia, de apoio aos mais idosos, [aos] sem-abrigo e aos que estão numa situação de carência”, disse o provedor.

Em declarações à agência Lusa, no final da cerimónia de tomada de posse, Santana Lopes destacou a “prioridade enorme” de se porem a funcionar os cuidados continuados e paliativos em Lisboa.

“Há uma enorme carência, são os telefonemas que mais recebo no dia-a-dia”, frisou, afirmando que espera abrir ainda este ano as portas do Hospital da Estrela, “um investimento muito significativo” que será direcionado para os cuidados continuados e paliativos.

Também no Hospital Pulido Valente a SCML assumiu, juntamente com o Ministério da Saúde, a “responsabilidade de uma nova ala dedicada aos cuidados continuados”.

Quanto ao orçamento para os próximos anos, o provedor não referiu números, mas afirmou que será “contido quanto possível do lado da despesa de funcionamento”.

Do lado da receita, disse que 75% provém dos jogos Santa Casa, do património, de aplicações financeiras e de “alguns rendimentos das pessoas que mais podem pagar quando recorrem às unidades de saúde” da SCML.

Questionado sobre os problemas que opuseram há uns meses os trabalhadores à SCML, Pedro Santana Lopes disse que “estão a ser resolvidos”, afirmando que criaram para cerca de três mil funcionários um seguro de saúde e libertaram progressões na carreira para trabalhadores com mais baixos rendimentos.

A tomada de posse decorreu na Sala das Extrações da Santa Casa e contou com a presença do primeiro-ministro, António Costa, do ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva, do presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, vários deputados, autarcas locais e quadros da Santa Casa.

Durante a intervenção de Pedro Santana Lopes foi exibido um vídeo que mostrou o trabalho que a SCML desenvolveu nos últimos anos e projetos que estão em desenvolvimento, como o Hospital da Estrela, em Lisboa, e a ampliação do Hospital de Sant’Ana, na Parede.

O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, cuja presença não estava anunciada, apareceu também no decorrer da cerimónia, tendo cumprimentado o provedor e o primeiro-ministro quando abandonavam o edifício da SCML.

Pedro Santana Lopes, antigo primeiro-ministro e presidente da Câmara de Lisboa, é provedor da Santa Casa desde 2011, e é acompanhado no triénio 2016-2019 por Edmundo Martinho, ex-presidente do Instituto de Segurança Social, como vice-provedor.