O 2.º Juízo Criminal de Almada condenou um treinador de futsal a 15 anos de prisão efetiva pela prática de crimes de abuso sexual e pornografia de menores, comunicou esta quinta-feira a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL).

O treinador esteve ligado ao Clube Figueirinhas de Almada, Clube Desportivo do Feijó e Clube Vale de Milhaços e foi neste último que praticou os crimes pelos quais foi condenado, beneficiando «da confiança da direção, dos pais dos jovens e de estes».

De 30 anos, o treinador foi acusado da prática de 51 crimes de abuso sexual de 16 jovens e dois de pornografia de menores.

O acórdão, lido na quarta-feira, sublinhou que foram dados como provados os factos imputados ao treinador da categoria «benjamins» do Clube Vale de Milhaços

«No decurso do ano de 2012, o arguido aproximou-se de diversos jovens a pretexto de lhes fazer massagens ou treinos particulares e no sentido de melhorar o seu desempenho desportivo. A pretexto dessas massagens e/ou treinos, o arguido encetou contactos sexuais com os menores (todos de idade inferior a 14 anos)», referiu a PGDL.

Acrescentoa ainda a PGDL que «a condenação do arguido está de acordo com o peticionado pelo Ministério Público em sede de alegações».

«Na oportunidade, salientou-se pela negativa a personalidade do arguido, a persistência da conduta criminosa, a idade das vítimas e os transtornos psicológicos de que muitos deles ainda sofrem no presente. O arguido agiu sempre com o dolo direto, querendo e conseguindo criar as condições para se encontrar com os menores e deles abusar sexualmente», refere a PGDL.