O Ministério Público do Porto acusou um inspetor da ASAE de peculato de uso por usar para fins pessoais a ‘pen’ de acesso à Internet que lhe tinha sido atribuída para uso profissional, gastando 1.700 euros em dois meses.

“Os factos reportam-se ao período de 01 de agosto a 30 de setembro de 2014 durante o qual o arguido, inspetor da ASAE, utilizou para fins pessoais o computador portátil e a ‘pen’ de acesso à internet que os serviços lhe tinham entregado para o seu desempenho funcional”, divulgou esta quinta-feira a Procuradoria-Geral Distrital do Porto.

A utilização indevida do equipamento terá originado, “um prejuízo para o Estado de 1.701,01 euros relativos a custos de acesso à internet suportados perante a operadora”.

A acusação foi deduzida no dia 12 de setembro pelo Ministério Público no Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Matosinhos da Comarca do Porto.

Ao inspetor da ASAE foi imputada a prática de um crime de peculato de uso.