A Comissão de Utentes da Via do Infante (CUVI) convocou novos protestos diante das casas de férias do primeiro-ministro e do Presidente da República para «pedir contas» sobre as portagens naquela autoestrada, disse hoje um dos responsáveis.

Assim, ainda sujeitas a confirmação numa reunião que vai ter lugar em Loulé na sexta-feira à noite, as ações, segundo João Vasconcelos, da CUVI, serão uma vigília a partir das 20:00 de dia 09 de agosto na Aldeia da Coelha, junto à casa de férias do Presidente da República, Cavaco Silva, e a partir das 10:00 do dia seguinte na Manta Rota em frente à casa onde o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, costuma passar férias.

João Vasconcelos disse à Lusa que o objetivo é conseguirem falar com o Presidente da República e com o primeiro-ministro para «pedir contas sobre as consequências da introdução de portagens» na Via do Infante (A22), que classificou como «uma grande catástrofe» para o Algarve, sem que a Estrada Nacional 125 constitua uma alternativa.

O responsável da CUVI acrescentou que também deverá ser agendado novo protesto para a Festa do Pontal. «Se já não bastasse os frequentes cortes de salários e de pensões, se já não bastasse a destruição da dignidade e da vida das pessoas; as políticas deste governo PSD/CDS teimam em prejudicar em modos nunca vistos a vida dos algarvios com a extorsão do dinheiro das portagens para enriquecer as concessionárias privadas», pode ler-se no evento marcado através da rede social Facebook.

Os responsáveis pelo agendamento dos protestos acrescentaram ainda: «Quem inferniza a vida de todos nós, não merece passar férias descansado! Enquanto não pararem de arruinar a vida dos portugueses não terão direito a um descanso digno».