Cerca de 400 passageiros do paquete Funchal que regressavam da Passagem de Ano na Madeira para Lisboa vão ficar retidos até domingo à noite ao largo da costa algarvia, porque não há um rebocador baseado no Algarve.

Em declarações à Lusa, Sousa Coutinho, dirigente do Oficiaismar, organização sindical que congrega oficiais de Marinha Mercante, explicou que o navio de 155 metros de comprimento está a «pairar junto à baia entre Lagos e Portimão», aguardando que chegue um reboque que vai partir de Setúbal pelas 05:00 de domingo, com previsão de chegada ao porto de Portimão pelas 21:00 de domingo.

Os passageiros regressavam de um cruzeiro que tinha o objetivo de ver o fogo-de-artifício do Funchal, na Madeira, no dia da Passagem de Ano, explicou Sousa Coutinho, referindo que as pessoas vão ter de aguardar pela chegada de um reboque, que vai auxiliar o paquete Funchal a realizar a manobra no porto de Portimão.

Se existirem condições, o paquete Funchal poderá fundear domingo de manhã próximo do porto de Portimão e uma embarcação fará ligação com terra se necessário, adiantou o dirigente sindical, referindo que o pedido foi feito pelo comandante do paquete.

O reboque tem cerca de 20 metros e não pode navegar a toda a velocidade. Por causa do mau tempo, adiantou a mesma fonte, referindo que hoje, pelo meio-dia, o reboque fez uma tentava para sair, mas as vagas de dez metros na costa Ocidental e os critérios de segurança obrigaram a embarcação a regressar a Setúbal.

Em comunicado enviado hoje ao início da noite à comunicação social, o diretor principal da empresa Portuscale Cruises, Rui Alegre, indicou que o «paquete Funchal está calmamente a navegar ao longo da costa do Algarve» e que os «passageiros estão a jantar e a usufruir confortavelmente do cruzeiro».

«A Portuscale Cruises, para conforto dos passageiros, optou por atracar e desembarcar em Portimão, protegendo assim os seus clientes de navegar no estado do mar em que este se encontra, até Lisboa», mas por razões «completamente alheias» à empresa, «o porto de Portimão não conseguiu ainda reunir as condições para que o paquete Funchal entre e atraque», lê-se na nota.

Segundo Rui Alegre, «o paquete Funchal e seus passageiros estão em total segurança» e está tudo preparado para que durante o dia de amanhã [domingo], se proceda ao desembarque dos passageiros, em Portimão.

O comandante da Capitania de Faro, Malaquias Domingues, adiantou hoje à Lusa que há vários navios oriundos do Mediterrâneo a navegar muito devagar na costa sul portuguesa, por causa do mau tempo registado na costa Oeste.

Houve mesmo alguns pedidos para esses navios fundearem na costa algarvia, mas devido ao mau tempo não foi autorizado, acrescentou.