O Papa Francisco associou-se, este sábado, à “Caminhada pela Vida”, organizada pela Federação Portuguesa pela Vida, para impedir a legalização da eutanásia.

De acordo com a Agência Ecclesia, o Papa associou-se à iniciativa, enviando uma mensagem que encorajou organizadores e participantes a “um renovado empenho na promoção dos verdadeiros valores humanos, morais e espirituais”.

De acordo com a agência da Igreja Católica portuguesa, a mensagem enviada pelo “número dois” da Secretaria de Estado do Vaticano, Angelo Becciu, Francisco frisou a importância de “inspirar indivíduos, famílias e a sociedade portuguesa na busca do bem-comum enraizado na concórdia, na justiça e no respeito pelos direitos da pessoa humana, desde a conceção à sua morte natural”.

Para o Papa está em causa “testemunhar a alegria do dom da vida e a beleza da família”.

A Federação Portuguesa pela Vida marchou este sábado em Lisboa, na sexta edição da “Caminhada pela Vida”.

A comissão parlamentar de Assuntos Constitucionais criou na última semana um grupo de trabalho para coordenar "a agenda preparatória" do relatório sobre a admissibilidade da petição pela despenalização da eutanásia. 

A petição com mais de oito mil assinaturas pela despenalização da morte assistida foi entregue na Assembleia da República no dia 26 de abril. O texto, que esteve disponível para assinatura na internet, é o mesmo do manifesto assinado por mais de 100 personalidades da sociedade portuguesa que defendem a despenalização da morte assistida.