A operação da GNR "Peregrinação Segura" vai testar o dispositivo para a visita do Papa em 2017 a Fátima no âmbito do Centenário das Aparições, anunciou, nesta quarta-feira, o porta-voz da GNR, Marco Cruz.

Na conferência de imprensa de apresentação da segunda fase da operação, em Fátima, o major Marco Cruz explicou que a GNR está já "há algum tempo a trabalhar em conjunto com várias entidades" e "vão ser treinados alguns dispositivos com o objetivo de garantir a segurança desta peregrinação, que é o foco desta operação, mas também serão testados este ano para serem aplicados no próximo, sabendo que irão ocorrer correções".

Este responsável adiantou ainda que já no ano passado começaram a "preparar algumas formas de articulação e de concretização no terreno" em cooperação "com as diversas entidades" e esta colaboração "vai ser reforçada este ano para ser aplicada no próximo ano".

Estas ações de planeamento envolvem determinados cenários, desde o simples furto de carteiras, até cenários de maior gravidade. São todos planos de contingência que já foram treinados e estão a ser preparados. Mas, mais importante do que a reação, é a prevenção", frisou Marco Cruz.

O porta-voz da GNR acrescentou que haverá um controlo de objetos e de pessoas no acesso à cidade de Fátima, sendo este o "primeiro cordão de segurança". Haverá outro junto ao "perímetro mais próximo do Santuário", podendo verificar-se algumas revistas seletivas.

Temos recursos importantes, como a videovigilância, que dá capacidade para controlar pessoas e veículos. Estas tecnologias irão apoiar-nos no terreno", salientou.

A operação "Peregrinação Segura" está na estrada desde o dia 4.

Cerca de 4.000 militares, em patrulhas auto, têm estado ao longo dos itinerários e garantido a segurança dos pontos que são considerados críticos para que não se registem acidentes. Tivemos o atropelamento de três peregrinos, mas felizmente sem consequências drásticas, apenas com ferimentos ligeiros", informou Marco Cruz.

A GNR terá no terreno 200 militares em cada um dos dois dias - 12 e 13 de maio - das várias valências como investigação criminal, cinotecnia, ordem pública, dispositivo territorial, inativação de explosivos, trânsito e operações especiais, que se encontram apeados, auto, de bicicleta, de moto e a cavalo, informou o capitão do destacamento de Tomar da GNR, Carlos Canatário.

Segundo este militar, a GNR estará atenta à "prevenção da criminalidade, nomeadamente os furtos de carteira e no interior de veículos", assim como à segurança rodoviária e ao fluxo de trânsito, que, nos dias 12 e 13 de maio, regista um "elevado número de viaturas".

A GNR informou ainda que irá disponibilizar na sua página do Facebook informação sobre a lotação dos parques e quais os que se encontram mais vagos naquele momento, assim como notas sobre a circulação de trânsito.