Duas mulheres foram identificadas pela PSP de Ovar por suspeita da prática de burla. De acordo com o comunicado da força policial, as mulheres tinham 31 e 35 anos e residem, respetivamente, em Loures e Lisboa.

«Alegadamente, as mulheres, há cerca de oito meses, astuciosamente, abordaram uma outra mulher, de 41 anos, empregada fabril, residente no concelho de Ovar, e, lendo-lhe as mãos, "revelaram-lhe" problemas de saúde e familiares. Tendo a vítima ficado perturbada, cedeu ao pedido das desconhecidas em lhes entregar bens, pelo que praticou atos que lhe causaram um prejuízo patrimonial de cerca de 2 mil euros», pode ler-se no comunicado, que revela ainda que a vítima voltou a encontrar as duas mulheres a vender roupa e chamou a polícia.

«Aquando da sua abordagem pelos elementos policiais, de forma ardil, uma das suspeitas deixou cair no solo um carrinho de linhas. Sendo conhecido desta Polícia que na consumação do tipo de ilícito em questão os seus autores utilizam frequentemente este artigo para ludibriarem as vítimas e fazê-las crer de que são videntes», revela aquela força policial.

As mulheres foram conduzidas à esquadra e, «após revista, foram-lhes apreendidos 3 anéis, 5 brincos, 1 medalha de um signo, 1 frasco de perfume, 2 carrinhos de linhas, 11 dentes de alho, 6 pontas de alecrim seco, 1 caixa de palitos e cerca de 1 metro de papel higiénico (artigos estes que se encontravam dissimulados nas suas roupas)».

As duas mulheres, que já sido identificadas anteriormente pela suspeita da prática do mesmo tipo de crime, em Vila Nova de Gaia e Tomar, foram constituídas arguidas e submetidas a Termo de Identidade e Residência.