Um português morreu depois de ter caído numa fenda rochosa, este sábado, quando praticava canyoning em Corga de Frecha, em Ourense, na Galiza.

O homem estava acompanhado por outras três pessoas, dois homens de 29 e 51 anos e uma mulher de 30 anos, que deram o alerta às autoridades por volta das 22:30 horas locais, menos um em Portugal continental. 

De acordo com relatórios da linha de emergência da Galiza, citados pelo jornal A Voz de Galicia, dois homens estariam encurralados num fosso debaixo de água, no rio Cachoeira, localizado na freguesia de Rio Caldo.

Os outros membros do grupo conseguiram resgatar um dos homens. A área onde aconteceu o acidente é de difícil acesso, o que tem atrasado o trabalho das equipas de resgate, que estão no local desde a noite de sábado. 

Neste momento, continua uma pessoa presa no local e as restantes foram socorridas e encontram-se bem, segundo confirmou o Comando Territorial da GNR de Viana do Castelo à Lusa.

A operação de resgate envolve equipas da Guarda Civil, do GES de Lobios, da proteção civil e de emergência médica, e também da guarda costeira da Galiza, não tendo sido requerido auxilio às autoridades portuguesas.

Vítima só será resgatada segunda-feira

Na manhã deste domingo tinha sido noticiado que o português poderia estar ferido, mas mais tarde as autoridades espanholas localizaram o homem.

Contactada pela TVI24, a Guarda Civil espanhola confirmou ter encontrado o cadáver do português numa zona de difícil acesso e, por isso, as operações de resgate foram suspensas até à manhã de segunda-feira.

Para auxiliar os companheiros do português foram ainda ativados os serviços de Intervenção Psicológica em Desastres e Emergências.

A identidade dos homens ainda não foi divulgada. De acordo com a fonte do Comando Territorial da GNR de Viana do Castelo, o grupo estava naquela região galega para praticar canyoning, atividade promovida por uma empresa de São Roque da Lameiro, no Porto.