A OPP acusa a Direção Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP) de “ilegalidade”, ao “solicitar a realização de atos psicológicos a Técnicos de Reinserção Social não inscritos na OPP (parte dos quais nem sequer licenciados em Psicologia) ”.


“Com efeito, de acordo com o estipulado na Lei, a prática da Psicologia é da competência exclusiva dos psicólogos inscritos na OPP e não de técnicos com formação em Psicologia, sem competência e não obrigados ao cumprimento do Código Deontológico da OPP”, afirma em comunicado enviado à Lusa.