A GNR levantou mais de quatro mil contraordenações, das quais 250 muito graves, durante os dois dias da operação «Hermes - Viajar em Segurança», que terminou na quinta-feira à meia-noite, indicou a corporação.

Segundo avançou à Lusa fonte da GNR, foram fiscalizados 12.725 condutores, tendo sido elaboradas 4.037 contraordenações, das quais 250 muitos graves e 1.541 graves.

Esta foi a terceira fase da operação Hermes, que visa controlar os condutores nos períodos em que normalmente há regressos e idas de férias, como é o caso do final de julho e início de agosto.

A operação envolveu mais de 2.800 militares, que fizeram quase setenta mil controlos de veículos nas estradas de todo o país.

Nestas ações, os militares da GNR testaram 9.562 condutores para verificar os níveis de álcool no sangue, tendo verificado excessos em 169 e detido 54.

A maior parte dos registos foi, no entanto, provocada por excesso de velocidade, tendo sido contabilizados quase 1.300 condutores em velocidade exagerada.

Além disso, foram verificados 258 casos de falta de cinto de segurança ou cadeiras de crianças, além de 178 veículos sem inspeção, 156 condutores a usar o telemóvel e 106 sem seguro.

Mais de 30 dos condutores controlados não tinha carta de condução em dia, enquanto 32 veículos estavam com carga a mais e 16 com carga mal condicionada.

A operação «Hermes - Viajar em Segurança», que se realiza entre 28 de junho e 01 de setembro, em cinco fases, compreende ainda mais duas fases, que vão decorrer a 14 e 15 de agosto e de 30 de agosto a 01 de setembro, regista a Lusa.