A Guarda Nacional Republicana (GNR) deteve na quarta-feira onze condutores por infrações graves, como condução sem carta ou sob influência do álcool, e identificou 145 pessoas sem cinto de segurança e mais de 70 a falar ao telemóvel.

No âmbito da operação «Anjo da Guarda», a GNR intensificou no dia 21 de maio a fiscalização do uso dos cintos de segurança, sistemas de retenção para crianças (SRC) e o uso indevido do telemóvel, em todo o território nacional.

De acordo com a Guarda Nacional Republicana, foram fiscalizados durante a operação 4.009 condutores, dos quais 718 circulavam em infração.

Considerando os objetivos específicos da operação, a GNR detetou 145 condutores em infração por não utilizarem ou usarem incorretamente os sistemas de segurança ¿ 133 relativos aos cintos de segurança e 12 aos sistemas de retenção para crianças-, e 73 por usarem telemóvel enquanto conduziam.

Foram ainda detidos 11 condutores, cinco dos quais por não terem carta de condução e dois por conduzirem sob influência do álcool (com uma taxa igual ou superior a 1,20 gramas por litro de sangue).

Foram ainda detetadas outras infrações, das quais a GNR destaca a falta de inspeção periódica obrigatória (59), a falta de seguro (32), o mau estado dos pneus (17) e outras relacionadas com carga, como excesso ou mau acondicionamento e disposição (11).