As buscas para encontrar o turista alemão desaparecido no mar a norte da ilha da Madeira vão ser retomadas hoje de manhã apenas por terra, devido ao agravamento da agitação marítima, disse fonte da Capitania do Porto do Funchal.

«Hoje, no mar, não se vão fazer buscas devido à previsão de agravamento da agitação marítima e do vento. Já ontem [segunda-feira] tivemos de interromper as buscas devido às condições meteorológicas», disse à agência Lusa o comandante Félix Marques.

De acordo com o mesmo responsável, hoje as buscas vão ser retomadas por terra ao longo da costa, entre no local onde decorreu o acidente, na Achada da Cruz, no concelho do Porto Moniz, e a Ponta do Pargo, no município da Calheta.

Félix Marques adiantou ainda que os meios utilizados nas buscas vão ser da Polícia Marítima, com dois agentes, «aos quais vão juntar-se seguramente populares, como tem vindo a acontecer».

«Terça-feira a previsão meteorológica já é mais favorável, com menos vento e agitação marítima mais fraca, pelo que serão retomadas as buscas marítimas», explicou.

O turista alemão desapareceu no domingo no mar que banha a fajã da Quebrada Nova, na Achada da Cruz, ao ser arrastado por uma onda quando se encontrava na praia de calhau daquele extremo noroeste da ilha da Madeira.

O turista, de 63 anos, estava alojado numa unidade hoteleira a oeste da Madeira, no concelho da Calheta, estava acompanhado por um outro homem também de nacionalidade alemã que escapou incólume à rebentação das ondas.