Portugal é o país da OCDE onde mais alunos têm acesso a computadores nas escolas, segundo um relatório divulgado esta segunda-feira, que aponta casos de estudantes portugueses que passam mais de seis horas por dia na internet.

Em Portugal, 98% dos alunos têm acesso a um computador ou outro equipamento semelhante na escola, segundo o relatório da OCDE - "Students, Computers and Leraning: Mling The Connection" - que analisa o uso e acesso às tecnologias de informação e os resultados escolares obtidos por milhares de alunos de 31 países.

Com um computador para cada 3,7 alunos, os jovens portugueses passam em média 25 minutos por dia na internet, revela o estudo da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE).

Portugal surge assim em primeiro lugar neste ranking que compara a existência de computadores nas escolas mas, nem por isso, os alunos se destacam nos testes quando comparados com outros países com menos oferta.

Nas provas realizadas pela OCDE a matemática, os resultados foram acima do expectável, mas na leitura digital, os portugueses tiveram piores notas do que seria de esperar, segundo uma análise ao Programme for International Student Assessment ( PISA 2012), que avaliou alunos de todo o mundo.

Ao comparar os resultados nos testes de leitura, matemática e ciências e o acesso e utilização das tecnologias de informação, o relatório conclui que as escolas e professores ainda não estão a rentabilizar suficientemente estas tecnologias.

Em 2012, 96% dos alunos da OCDE tinham um computador em casa, mas apenas 74% diziam usar os da escola.

Em Portugal, 97% tinham pelo menos um equipamento em casa e mais de metade usava-o para fazer trabalhos para a escola mas também para lazer.

O acesso à internet fora da escola é uma realidade para a grande maioria dos alunos portugueses (mais de 90%) e um em cada três (35%) acaba por passar mais de quatro horas diárias na internet durante o fim de semana.

Os rapazes conseguem estar em media ainda mais 40 minutos por dia do que as raparigas, um número que faz com que Portugal surja em destaque nesta diferença de sexos.

No entanto, durante a semana, os portugueses estão menos tempo ao computador quando estão em casa: são 99 minutos diários contra a média da OCDE de 104 minutos.

Ao fim de semana, os jovens portugueses navegam durante quase duas horas e meia (149 minutos).

Este tempos parecem excessivos, mas existem casos ainda mais graves: 6,1% dos jovens de 15 anos passam mais de seis horas por dia, durante a semana, em frente a um ecrã (OCDE = 7,2%).

Metade dos estudantes portugueses inquiridos admitiu que já tinham chegado atrasados à escola por causa dos computadores.

O relatório aponta Portugal como um dos países onde as escolas com alunos mais desfavorecidos acabam por ter mais equipamentos em relação a outros estabelecimentos de ensino.