Um grupo de 16 trabalhadores estrangeiros, maioritariamente portugueses e sul-africanos, foi suspenso das suas atividades por se encontrar em situação ilegal numa obra da construtora Teixeira Duarte em Maputo, informou hoje à Lusa a Inspeção-Geral do Trabalho moçambicana.

"A Inspeção-Geral do Trabalho (IGT), ao nível da Cidade de Maputo, suspendeu, com efeitos imediatos, um total de 16 cidadãos estrangeiros, maioritariamente de nacionalidades portuguesa e sul-africana, contratados pela empresa construtora Teixeira Duarte-Moçambique, que se encontravam a trabalhar ilegalmente na obra de construção das futuras instalações do Banco de Moçambique, na avenida 25 de Setembro, na baixa da cidade", declara um comunicado da entidade.


Contactada pela Lusa, a IGT não esclareceu quantos daqueles trabalhadores têm nacionalidade portuguesa.