As buscas dos quatro pescadores desaparecidos no naufrágio de um arrastão, na terça-feira, na Figueira da Foz, vão continuar ao longo da noite de hoje, disse fonte da Autoridade Marítima.

"[As buscas] vão continuar no terreno (…). Iremos continuar até todas as possibilidades estarem esgotadas", disse aos jornalistas Nuno Leitão, porta-voz da Autoridade Marítima.

Indicou que a Autoridade Marítima espera a chegada à Figueira da Foz, nas próximas horas, de uma empresa especializada em salvamentos marítimos, que vai tentar por o arrastão naufragado junto à barra a flutuar.

A intervenção da empresa passa por conseguir por a embarcação, que está virada ao contrário, com o casco à vista à tona de água, a flutuar.

"E após haver condições de segurança, os mergulhadores vão tentar entrar para poder despistar se existem pessoas dentro do arrastão ou não", disse Nuno Leitão.


A operação, frisou, pretende não só encontrar as vítimas que ainda se encontram desaparecidas como "retirar do mar as artes de pesca que, por si só, representam um perigo acrescido para a navegabilidade nesta zona".

Nas operações, que decorrem no mar e em terra nas praias adjacentes ao local do naufrágio, estão envolvidos cerca de 90 operacionais da Marinha e Autoridade Marítima, uma lancha salva vidas do Instituto de Socorros a Náufragos, um navio patrulha oceânico da Marinha e um helicóptero, para além de meios dos Bombeiros Municipais e Voluntários da Figueira da Foz, PSP e Proteção Civil Municipal.