Um parque de campismo naturista vai ser criado em Marvão, no norte alentejano, numa área de 10 hectares, sendo o primeiro do género no interior do país.

«Nós já adquirimos o terreno há dois anos, o espaço tem 10 hectares e o parque vai ser construído na zona de Cabeçudos, em Marvão», adiantou à Lusa Nuno Frade, um dos promotores do parque de campismo destinado a naturistas.

«Marvão é um sítio de excelência em Portugal para passar férias. Nós quisemos fugir da costa, porque é sempre mais complicado investir nessa zona e também porque esta região [Marvão está situada em pleno Parque Natural da Serra de São Mamede] tem um imenso potencial», justificou.

De acordo com Nuno Frade, este tipo de turismo/segmento de mercado «tem imensa procura», principalmente de turistas holandeses, mas lamentou a «falta de resposta» do país para quem procura este tipo de férias.

Sem contar com o investimento já feito na aquisição dos terrenos, números que não foram revelados pelo investidor, Nuno Frade avançou que o investimento para a concretização do projeto ronda os «cem mil euros».

«Possivelmente vamos candidatar este projeto ao Programa de Desenvolvimento Rural (PRODER)», disse.

Nuno Frade, que «gostaria» de inaugurar o espaço em 2013, na época primaveril, lamentou, no entanto, que a legislação em vigor para a regulamentação dos parques de campismo seja «bastante complicada e restritiva».

Contactado pela Lusa, o vereador do município de Marvão, José Manuel Pires, congratulou-se com o desenvolvimento do projeto naquele concelho alentejano, sublinhando que o investimento é «bem-vindo».

O autarca fez questão de frisar que se trata de uma oferta turística que «não existe» na zona, «inovadora» e que «faz todo o sentido», uma vez que existe «muita procura» por parte do mercado turístico do norte da Europa.

«Faz todo o sentido este investimento e está enquadrado com o Parque Natural da Serra de São Mamede. Os clientes deste tipo de espaços são pessoas que convivem com a natureza, que a protegem, que a defendem e, por isso, são bem-vindos», acrescentou.