A Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária foi autorizada a gastar até 2017 cerca de 5,1 milhões de euros em despesas de correios, segundo decisão do Conselho de Ministros.

A autorização para realizar a despesa relativa à aquisição de serviços postais aos CTT Correios de Portugal, para os próximos dois anos, vem no comunicado do Conselho de Ministros saído da reunião de hoje.

No comunicado lembra-se que os serviços de notificação postal, «no âmbito dos processos de contraordenação, traduzem-se na expedição de um elevado número de objetos postais».

Essas notificações, «a par de outros serviços conexos», são indispensáveis à operacionalidade da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária, diz-se no comunicado.