A violência doméstica é uma tragedia com vários contornos. Agora há mais um. Há mulheres que estão a voltar para casa do agressor por causa do atraso dos apoios socias. Nesta fase frágil de transição para uma vida autónoma, as vítimas com carências económicas recebem um apoio ao arrendamento do Estado e é esse dinheiro que está a chegar tarde.

Sem rede e muitas vezes com filhos menores estas mulheres voltam e correm risco de vida. A Associação de Apoio à Vítima (APAV) relata vários casos em diferentes zonas do país.

Processos falhados que representam risco de vida para as mulheres vítimas de violência doméstica e para os menores envolvidos. A TVI tentou desde quarta-feira passada esclarecer esta situação junto do Governo.

O ministério da Segurança Social delegou responsabilidades na Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género, mas este organismo contactado pela TVI informou que a responsabilidade do apoio ao arrendamento é mesmo do ministério.

Até há conclusão desta peça não foi possível ter quais quer esclarecimentos.