A 37.ª edição da Concentração de Motos de Faro começa esta quinta-feira e prolonga-se até domingo, sendo esperados 18 mil participantes, que terão segurança reforçada da GNR, uma semana após as detenções de 59 elementos do grupo motociclista Hells Angels.

A GNR anunciou na quarta-feira, em comunicado, que esta edição da Concentração de Faro terá um efetivo superior, sobretudo da Unidade de Intervenção.

A par deste reforço, o comando territorial de Faro vai realizar “uma operação de segurança de grande visibilidade” dirigida aos motociclistas, automobilistas e público que participa na concentração internacional.

A edição de 2018 decorre após a Polícia Judiciária ter detido, na semana passada, 58 elementos do grupo de motociclistas Hells Angels em Portugal (a que se soma um outro na Alemanha), por indícios de associação criminosa, tentativa de homicídio, roubo, ofensa à integridade física, posse e tráfico de armas proibidas e tráfico de droga.

Dos 58 detidos em Portugal, o Tribunal de Instrução Criminal (TIC) de Lisboa determinou na quarta—feira prisão preventiva para 39 arguidos e apresentação periódica às autoridades para os restantes 19.

Os arguidos que ficam em liberdade estão proibidos de sair dos concelhos das respetivas residências e participar em concentrações ‘motards’.

A coordenadora da Unidade Nacional de Combate ao Terrorismo, Manuela Santos, assumiu em conferência de imprensa que a operação policial de desmantelamento do grupo, a 11 de julho, teve em conta a realização do encontro de Faro e a possibilidade de ajustes de contas entre grupos rivais.

O tenente Carvalho Afonso, oficial de comunicação e relações públicas do comando territorial da GNR de Faro, disse à agência Lusa que a segurança dentro do recinto está a cargo de uma empresa de segurança privada, como aconteceu nos anos anteriores.

No entanto, os militares da GNR vão estar nas imediações do recinto e, “se houver necessidade, será feita uma intervenção”, afirmou, dando conta de que a valência da investigação criminal vai estar a monitorizar e a recolher informações durante todo o evento.

Carvalho Afonso disse também que a GNR está em contacto com as outras forças de segurança portugueses e internacionais para troca de informações.

A organização da Concentração de Motos de Faro afirmou por sua vez que vai manter a segurança habitual no recinto.

Para José Amaro, presidente do Motoclube de Faro, organizador da concentração de motos algarvia, as informações sobre as detenções de 59 pessoas ligadas ao grupo de motociclistas Hells Angels para evitar um ataque na concentração estão a ser “empoladas pela imprensa”.

Há sempre preocupação todos os anos com a segurança da concentração, principalmente sobre o problema dos incêndios. Essa é uma das principais preocupações da organização, porque a concentração está numa zona propícia a incêndios”, disse José Amaro, referindo-se ao facto de o recinto e o parque de campismo disponibilizado pela organização estarem junto de uma mata.

O presidente do Motoclube garantiu que “toda essa organização está preparada com os bombeiros e as autoridades” e frisou que, “no que se refere à outra segurança, dentro do recinto, o dispositivo vai ser precisamente igual ao do ano passado”.