O realizador Fernando Ávila morreu neste sábado, aos 61 anos, no Hospital S. Francisco Xavier, vítima de cancro, disse à agência Lusa fonte próxima do realizador.

Domingo, o corpo do realizador estará, a partir das 14:00, na Igreja de S. João de Deus em Lisboa onde, na segunda-feira, será celebrada uma missa de corpo presente, às 10:00.

O funeral segue depois para o Cemitério do Alto de S. João, onde o corpo do realizador será cremado.

A curta-metragem "Corações periféricos", de 1991, com argumento de Carlos Tê (e uma canção de Rui Veloso), conta-se entre as obras de ficção do realizador. O filme fazia parte de uma série de quatro episódios - quatro curtas-metragens de realizadores portugueses em início de carreira, como Manuel Mozos e Luís Alvarães -, sobre "adolescentes numa viagem sem regresso".

Fernando Ávila assinou igualmente "Pós de Bem Querer", com argumento de António Torrado (1992), além de "Crime na Pensão Estrelinha" (1990) e "Hermanias Especial Fim de Ano" (1991), com Herman José, de quem era amigo, além da adaptação televisiva de "Passa Por Mim no Rossio" (1992).

No seu percurso contam-se ainda obras documentais e versões televisivas de espetáculos como "As Bodas", de Stravinsky, coreografadas por Chistopher Bruce, para o Ballet Gulbenkian, que teve edição da NVC Arts International, e "13 Gestos de Um Corpo", coreografia de Olga Roriz, para o Ballet Gulbenkian, com produção da EurekaTV (Berlim, 1989).

"Astor Piazzolla em Lisboa" deu ao realizador o Prémio do Festival de Praga para o melhor Programa Musical de TV de 1988. Ávila dirigiu a primeira série televisiva docuemntal sobre fado, "Trovas antigas, saudade louca" (2010), segundo guião do musicólogo Rui Vieira Nery e com apresentação de Carlos do Carmo, e o apoio do Museu do Fado.

"Diário de Um Desaparecido", bailado concebido por Madalena Vitorino, "Pierrot Lunaire", sobre a obra de Arnold Schoenberg (1988), "A Infância de Jesus", de Berlioz, "Medeia", de Cherubini, com encenação de Luis Miguel Cintra, e a tetralogia de Richard Wagner "O anel do Nibelungo", produzida pelo Teatro Nacional de São Carlos, foram outros espetáculos dirigidos por Fernando Ávila.

“Conta-me como foi”, “Estado de Graça” e “VIP Manicure”, "Sozinhos Em Casa", "Isto É O Agildo", "Os Imparáveis", "Meu Querido Avô", "Residencial Tejo", "O espírito da lei", "O Homem Que Mordeu o Cão", "Uma Família Normal" e "A Mãe do Sr.Ministro" são outros trabalhos de ficção que dirigiu.

A estes juntam-se ainda a encenação da peça de Georges Feydeau "A Pulga Atrás da Orelha", montada pelo Teatro da Comuna, "Odeio Hamlet" e a série "Docas".

Fernando Ávila era licenciado em Arquitectura pela Escola Superior de Belas Artes de Lisboa e entrou para a RTP, em 1987. Atualmente realizava o programa de humor “Donos Disto Tudo”, para a estação pública de televisão.