Luís Vitta, jornalista da Lusa durante 16 anos, morreu hoje de madrugada, aos 69 anos, no Hospital de Cascais, disse à Lusa uma fonte familiar.

Natural de Jaboticabal, São Paulo, Brasil, Luís Vitta era licenciado em Direito, fugiu à ditadura brasileira e chegou a Portugal em 1974, a seguir ao 25 de abril, e entrou para a então ANI (Agência Nacional de Informação), em novembro desse ano.

Após a revolução, a ANI deu origem à ANOP (Agência Noticiosa Portuguesa), onde trabalhou até novembro de 1982, ingressando nesse ano na Notícias de Portugal (NP), sendo depois jornalista fundador da Lusa, em 1987, após a fusão da ANOP com a NP.

Além do seu longo percurso no jornalismo de agência, passando por várias áreas, Luis Vitta esteve sempre ligado à cultura, sobretudo escrevendo sobre música, tendo coloborado na fundação do jornal Blitz, lançado por Manuel Falcão.

O corpo de Luís Vitta estará a partir de hoje à tarde em câmara ardente na capela de Nova Oeiras e o funeral realiza-se às 11:00 de quarta-feira.