O Ministério Público acusou esta quinta-feira um homem de milhares de crimes de pornografia infantil agravada, na internet.  Ao certo, são 10.578 de que o indivíduo, com 38 anos, é acusado. 

A investigação, a cargo da 2.ª Secção do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa, apurou que o arguido exibia as imagens «em práticas sexuais ou análogas e instrumentalizando-as com fins meramente lascivos».

«O arguido comprava tais imagens através de sites próprios, usando para o efeito os programas eMule, BitTorrent e uTorrent, armazenava-as e procedia ainda à partilha dos mesmos conteúdos criminosos com difusão alargada através da internet».

A nota acrescenta que numa busca domiciliária realizada em meados de abril foi apreendido um computador, ficheiros e discos óticos, analisados depois demoradamente por se tratar de uma «enorme quantidade de imagens e a exigência técnica inerente».