A Polícia Marítima portuguesa anunciou esta quarta-feira que resgatou 1.045 migrantes, 241 dos quais crianças e bebés, prestou primeiros socorros a seis pessoas e deteve quatro facilitadores no primeiro mês de missão na Grécia.

Desde 01 de outubro que uma equipa da Polícia Marítima (PM) está no Mar Egeu, na Grécia, no âmbito de uma operação da Agência Europeia da Gestão da Cooperação Operacional nas Fronteiras Externas dos Estados-Membros da União Europeia (Frontex), denominada “Poseidon Sea 2015” com “o objetivo de cooperar no controlo e vigilância das fronteiras marítimas gregas e no combate ao crime transfronteiriço”.

Num comunicado para fazer o balanço do primeiro mês de missão na Grécia, a Autoridade Marítima Nacional (AMN) refere que a equipa portuguesa da PM realizou, em outubro, 28 missões de busca e salvamento e resgatou 1045 migrantes, dos quais 241 eram crianças e bebés e 266 eram mulheres.

Segundo a AMN, a patrulha portuguesa deteve quatro facilitadores e prestou primeiros socorros a seis refugiados, tendo-lhes administrado oxigénio e, num dos casos, aplicado manobras de suporte básico de vida.

“Todos os elementos da equipa possuem formação em suporte básico de vida e oxigenoterapia e têm a bordo equipamento de oxigenoterapia, que já se relevou fundamental para o sucesso da reanimação cardiorrespiratória de uma mulher com cerca de 30 anos e de duas crianças com cerca de dois e quatro anos”, refere a nota da AMN, sublinhando que, entre 01 e 31 de outubro, a PM realizou ainda uma operação de mergulho e retirou do mar quatro corpos.


A AMN indica que um dos membros da equipa pertence ao grupo de mergulho forense, que além de realizar as atividades diárias de controlo e vigilância das fronteiras marítimas gregas, está capacitado para executar buscas na área molhada para a deteção, localização e remoção de cadáveres, estupefacientes ou substâncias psicotrópicas proibidas, veículos ou objetos que tenham sido usados, sejam o produto ou se destinem a ser usados na atividade criminosa, assegurando a preservação e obtenção dos meios de prova.

Este elemento foi responsável pela recuperação de quatro pessoas, uma mulher, uma adolescente e dois bebés, já sem vida, do interior de uma embarcação naufragada, acrescenta a Autoridade Marítima Nacional.

A atividade da equipa da PM passou igualmente pelo apoio à guarda-costeira norueguesa, que também se encontra integrada na missão, e por apoio a migrantes na sua chegada a terra.

A missão da Polícia Marítima na Grécia termina a 31 de dezembro.