O número de sinais no braço direito pode indicar a vulnerabilidade de uma pessoa para o cancro da pele, sendo 11 ou mais sinais um “forte prognóstico” de melanoma, sugere um estudo científico divulgado esta segunda-feira.

O estudo, publicado no British Journal of Dermatology, revela que o número de sinais no braço direito constitui a indicação mais acertada do número de sinais em todo o corpo, sendo que quanto maior o número de sinais no corpo, maior o risco de melanoma ou cancro da pele.

Cientistas do King’s College de Londres disseram que a descoberta pode ajudar os médicos a identificarem mais facilmente os doentes em risco.

Os investigadores estudaram 3.594 gémeos caucasianos do sexo feminino, usando dados recolhidos durante um período de oito anos. A cada pessoa foi feita uma contagem de sinais em 17 áreas do corpo.

O exercício foi repetido num grupo de cerca de 400 homens e mulheres com melanoma.

As mulheres com mais de 11 sinais no seu braço direito tinham maior probabilidade de ter mais de 100 em todo o corpo, que era um “forte prognóstico” de melanoma, disseram os investigadores.

“Isto significa que mais pacientes em risco de melanoma podem ser identificados e seguidos”, disse Simone Ribero, o principal autor do estudo.

O aparecimento de um novo sinal ou a alteração de um já existente são os indícios mais comuns da doença.

Claire Knight, da Cancer Research UK, a principal instituição de beneficência do mundo dedicada à investigação do cancro, considerou que o estudo pode ser útil, mas alertou: “É importante saber o que é normal para cada pele e informar o médico de qualquer alteração no tamanho, forma, cor ou sensação de um sinal ou pedaço de pele”.

“Não olhe apenas para os seus braços, o melanoma pode desenvolver-se em qualquer zona do corpo e é mais comum no tronco no caso dos homens e nas pernas no caso das mulheres”.