Quase mil migrantes de diferentes nacionalidades foram resgatados do Mar Egeu em oito meses pela equipa da Polícia Marítima que está em missão na ilha grega de Lesbos.

Em comunicado, a Autoridade Marítima Nacional (AMN) adianta que a Polícia Marítima, em missão na ilha grega de Lesbos desde 1 de maio, detetou e retirou a salvo das águas do Mar Egeu 998 migrantes de diferentes nacionalidades que, neste “fluxo migratório irregular e arriscado por via marítima”, tentam entrar na Europa numa travessia entre a Turquia e Grécia.

Segundo a AMN, a Polícia Marítima realizou, entre maio e dezembro, 221 ações de patrulha no mar, totalizando 1.478 horas de navegação.

A AMN indica que também a viatura de vigilância costeira da Polícia Marítima, equipada com radar e câmaras de vigilância de imagem infravermelhos e térmica, realizou, no âmbito desta missão, 223 ações de vigilância, num total de 1.482 horas, 21 das quais de apoio a busca e salvamento marítimo de migrantes.

A Polícia Marítima está na Grécia desde 01 de maio de 2017 no âmbito de uma missão da Agência Europeia de Gestão da Cooperação Operacional nas Fronteiras Externas dos Estados-Membros da União Europeia (FRONTEX) para apoiar a guarda-costeira grega.

Esta missão tem com objetivo controlar e vigiar as fronteiras marítimas gregas e externas da União Europeia no combate ao crime transfronteiriço, no âmbito das funções de guarda-costeira europeia.

Segundo a AMN, está previsto o prolongamento desta missão até 31 de janeiro de 2018.