Cerca de 525 mil portugueses até aqui sem médico de família vão passar a ter um clínico atribuído tendo em conta os 276 novos médicos de medicina geral e familiar que devem entrar em funções até início de agosto.

Terminou, esta sexta-feira, o processo de escolha dos agrupamentos dos centros de saúde por parte dos médicos de família recém-especialistas. Nesta primeira fase do concurso foram preenchidas 276 das 338 vagas, segundo números avançados pelo Ministério da Saúde.

Estes 276 médicos, que devem entrar em funções até início do próximo mês, vão permitir cobrir uma população de cerca de 525 mil utentes até agora sem médico de família.

Das 338 vagas que estavam disponíveis, 175 estavam na zona de Lisboa e Vale do Tejo, 68 no Norte, 54 no Centro, 30 no Algarve e 11 no Alentejo.

Nesta primeira fase houve 290 candidatos, mas oito foram excluídos.A segunda fase do concurso decorre entre outubro e novembro.