O Centro Hospitalar de São João (CHSJ) disse esta sexta-feira que, na sequência de auditorias internas, em 2009, foram detetados indícios de fraude em duas situações que lesam a ADSE e aquela unidade hospitalar, envolvendo dezenas de colaboradores.

A edição do «Jornal de Notícias» avança que doze médicas, enfermeiras e outras funcionárias do Hospital São João, no Porto, foram acusadas de falsificar documentos de supostos tratamentos dermatológicos para fazer depilações à custa da ADSE.

Em comunicado enviado à Lusa, esta unidade de saúde confirma que ¿no decorrer de auditorias internas feitas pelo Centro Hospitalar de São João, em 2009, foram detetados indícios de fraude em duas situações que lesam a ADSE e o CHSJ¿, envolvendo os dois casos dezenas de colaboradores daquela unidade hospitalar.

«O primeiro caso foi comunicado ao Ministério Público que o levou a julgamento, do qual resultou uma condenação com obrigação de indemnização ao CHSJ, mas encontra-se pendente de recurso», esclarece o mesmo comunicado.

No segundo caso, de acordo com o hospital, «os elementos apurados pelo CHSJ foram igualmente remetidos para o Ministério Público que deduziu acusação», estando o hospital a acompanhar e a aguardar a realização do julgamento.