O Hospital de Santa Maria viu-se obrigado a racionar um medicamento distribuído gratuitamente para o tratamento da esclerose múltipla. De acordo com notícia publicada pelo jornal «i», o hospital viu-se obrigado a dividir embalagens do medicamento, de forma a distribuí-lo pelos vários doentes e a medicação chegasse para todos.

Assim, em vez de levarem a medicação para um mês inteiro, cada doente levava medicação para uma semana. O caso foi tornado público pela Associação Todos Contra a Esclerose Múltipla (TEM), que recebeu várias denúncias.

Ainda de acordo com o «i», o hospital confirma a situação, que teve início no último dia 8 e se deveu a stocks em níveis reduzidos. Garante contudo que o problema está resolvido. A reposição de stock em níveis considerados seguros foi feita esta terça-feira.

Neste momento, o Santa Maria dispensa a medicação em causa a 85 doentes. Trata-se de uma molécula usada nos casos mais graves e que o hospital garante não haver legislação nacional para fornecimento gratuito, mas cuja distribuição assume sem encargos para o doente.