A atriz Carmen Dolores, de 89 anos, recebe hoje a Medalha de Mérito, grau ouro, da Cidade de Lisboa, numa cerimónia às 19:00 no Jardim de Inverno do Teatro Municipal São Luiz, anunciou a autarquia.

Carmen Dolores estreou-se no cinema aos 19 anos, protagonizando Amor de Perdição, de António Lopes Ribeiro, todavia, ainda menina, já colaborava na rádio, onde lia poesia e outros textos.

Em abril de 2003, a atriz despediu-se dos palcos com a peça Copenhaga, de Michael Frayn, na qual contracenou com Luís Alberto e Paulo Pires. A peça foi reposta em março de 2005, por ocasião do Ano internacional da Física. O texto centra-se num encontro entre os físicos Niels Bohr e Werner Heisenberg, na Dinamarca, no tempo da ocupação nazi.

Carmen Dolores desde os 12 anos na rádio, manteve uma atividade permanente tanto em programas de divulgação de poesia, como em folhetins e no teatro radiofónico.

Em entrevista à Lusa em março de 2005, quando foi resposta a peça Copenhaga, afirmou que saía de cena para se «poupar e viver ainda uns anos razoavelmente».

A atriz foi também figura regular na televisão, quer em programas de poesia, concursos, como júri, peças de teatro e telenovelas. A última foi «A lenda da garça», na qual contracenou, entre outros, com Natália Luiza, Ana Bustorff, André Gago e Pedro Granger.

Com vários galardões no currículo - Prémio da Crítica, da Casa da Imprensa, Melhor Atriz de Teatro, Melhor Atriz de Cinema, entre outros -, Carmen Dolores foi agraciada com a Ordem de Sant¿Iago e Espada, em 1959, e com o grau de Grande Oficial da Ordem do Infante D. Henrique, em 2005.

Carmen Dolores registou as suas impressões de vida na obra «No palco da memória», revista e reeditada pela Porto Editora, no ano passado.

Hoje, na cerimónia, o dramaturgo Jorge Listopad, o encenador Carlos Avillez e os atores Natália Luiza e Diogo Infante darão de viva voz testemunhos sobre a vida e obra da atriz.

A cerimónia encerra com a entrega da Medalha de Mérito da Cidade, Grau Ouro, pela vereadora da Cultura, Catarina Vaz Pinto.