O Ministério da Educação e Ciência divulgou, este domingo, que atribuiu créditos horários adicionais a 274 escolas, com base em critérios pedagógicos que avaliam o sucesso escolar e o combate ao abandono.

Os créditos horários atribuídos a cada estabelecimento ou agrupamento são comunicados antes do final de agosto, com o objetivo de permitir às escolas que peçam a contratação adicional de professores, caso o corpo docente seja considerado insuficiente para assegurar as horas a mais atribuídas.

O comunicado de imprensa hoje divulgado pelo Ministério liderado por Nuno Crato refere que estes créditos têm vindo a ser atribuídos desde 2012, com vista à melhoria dos resultados letivos.

Têm por base critérios de eficácia educativa, como a aferição dos resultados internos com os externos, assim como a redução da percentagem de alunos em abandono ou o risco de abandono escolar.
 

Mais de metade das escolas usam totalidade de horas disponíveis para gestão


Também neste domingo, o ministério da Educação revelou que mais de metade das escolas utilizou a totalidade das horas que os professores têm disponíveis para tarefas de gestão.

Analisando os indicadores de capacidade de gestão, que avaliam os recursos docentes e o número de turmas, o ministério liderado por Nuno Crato referiu hoje que “423 escolas usam pelo menos 99% das horas de que dispõem”, o equivalente a 52% do total, o que representa um aumento face aos 48% registados em 2014.

No ano letivo 2012-2013 apenas 40% das escolas reportaram usar a totalidade das horas que lhes tinham atribuído para tarefas de gestão.

Aos créditos horários atribuídos às escolas para gestão acrescem os créditos horários para apoio pedagógico. Esses créditos são atribuídos com base na melhoria dos resultados escolares e no sucesso no combate ao abandono escolar.