Os ventos fortes sentidos durante a noite em freguesias de Paredes causaram graves prejuízos em duas fábricas, uma têxtil e outra de móveis, disse à Lusa o comandante dos bombeiros de Lordelo, Pedro Alves.

Segundo aquele elemento da proteção civil, as unidades fabris, ambas em Duas Igrejas, «ficaram muito destruídas, pondo em risco vários postos de trabalho».

«Estão inoperacionais», avançou. Os danos mais graves ocorreram na fábrica de móveis, cujas paredes e telhado foram destruídas pelos ventos fortes. A fábrica de confeções, próxima da primeira, também ficou sem cobertura e uma das fachadas ficou destruída. As duas unidades empregam dezenas de pessoas, acrescentou.

O comandante disse também que os danos foram provocados por um tornado que arrancou telhados e várias árvores nas freguesias de Vilela, Duas Igrejas e Lordelo.

Às 12:40, havia o registo de 60 habitações danificadas na área operacional de Lordelo e no terreno mantinham-se 31 operacionais dos bombeiros daquela cidade, apoiados por sete viaturas.

Nas últimas horas, foram também desobstruídas duas estradas municipais que estavam encerradas devido à presença de árvores caídas e de outro material levado pelo vento.

O alarme para o fenómeno meteorológico foi dado cerca das 3:15.

«Neste momento, os bombeiros e os serviços municipais estão a fazer o levantamento exaustivo dos danos», avançou também à Lusa.

Apesar dos danos materiais, não houve feridos.

Estão ainda sem energia as localidades de Vilela e Duas Igrejas, devido aos muitos postes de eletricidade que o fenómeno derrubou.