A tempestade Bruno não vai afetar diretamente Portugal, mas o sistema frontal que lhe está associado vai piorar as condições do tempo a partir do final da tarde desta terça-feira, informou o Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

A depressão Bruno formou-se na segunda-feira sobre o Oceano Atlântico, encontra-se a sudoeste das ilhas Britânicas e irá deslocar-se gradualmente para leste, pelo que não vai afetar diretamente o território português, embora no país se façam sentir as influências do sistema frontal que lhe está associado, com o agravamento das condições meteorológicas, hoje, ao final do dia.

De acordo com a meteorologista Ângela Lourenço, foram lançados avisos de precipitação, de rajadas (vento) e de agitação marítima para o país inteiro, sendo que o nível mais elevado (o ‘laranja’) foi emitido para os distritos de Viana do Castelo, Porto, Braga, Vila Real e Guarda.

“A previsão para hoje, para o território do continente, é de chuva ou aguaceiros, sendo que a partir do final da tarde se prevê um agravamento das condições meteorológicas, principalmente no que diz respeito à precipitação, às rajadas e depois também à agitação marítima, essencialmente na costa ocidental. Isto tudo associado a um sistema frontal que vai atravessar o território com uma atividade moderada a forte."

A precipitação deverá afetar especialmente os distritos a norte de Coimbra “a partir do final da tarde até às primeiras horas de quarta-feira” e para as rajadas de vento “há avisos para todo o território, sendo que as regiões mais elevadas - as terras altas - e também o litoral poderão ser aquelas onde poderão ser mais significativas”, disse.

“Para os distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Vila Real e Braga, entre as 18:00 e a 24:00 [de hoje] o aviso é ‘laranja’ para as terras altas, com rajadas que poderão atingir cerca de 120 quilómetros por hora”, acrescentou.

No que respeita à agitação marítima, as ondas serão de noroeste com quatro a cinco metros já a partir de hoje a norte do Cabo Carvoeiro, uma situação que “se vai estender à restante costa ocidental, mantendo-se o aviso até à próxima quinta-feira”.

“Temos um período mais crítico na quinta-feira, essencialmente entre a meia-noite de amanhã [quarta-feira] e as 15:00 [de quinta-feira], no qual a agitação marítima pode ser pontualmente mais elevada e as ondas previstas são de noroeste com cinco a seis metros."

Na quarta-feira, as temperaturas no Porto devem variar entre os 10 graus Celcius e os 15º, em Lisboa entre os 13º e os 16º, e em Faro entre os 14º e os 18º.

Guarda, com 3º, e Bragança, com 4º, são as capitais de distrito com as previsões de temperaturas mínimas mais baixas.