Cerca de 1.200 pessoas do vale da Campeã, em Vila Real, continuam hoje sem eletricidade, devido aos postes e fios derrubados pela neve e gelo, e escolas e comércio estão fechados, disse o presidente da junta.

Jorge Maio, presidente da Junta de Freguesia de Campeã, contou que, desde as 17:00 de terça-feira, que se começaram a verificar as falhas de energia, devido ao gelo que se acumulou e derrubou postes de média e alta tensão.

“A partir desse momento que não temos energia. Está a ser um verdadeiro desespero para as pessoas”, afirmou.

Como consequências, Jorge Maio elencou as famílias que não têm possibilidade de aquecer as suas casas, as explorações agrícolas que estão com dificuldades devido às ordenhas, as escolas primárias e do pré-escolar permanecem fechadas, tal como o comércio.

Alcides Pereira, de 65 anos e residente na aldeia de Aveçãozinho, disse que os dias têm sido complicados, já que está frio e não tem forma de aquecimento em casa.

“O aquecimento é ligado à luz e não o podemos acender. O pior, agora, são as arcas que estão a descongelar e a carne pode-se estragar. De resto a televisão a gente bem se remedeia sem a ver e a comida é feita no fogão a gás”, contou.

Jorge Maio referiu que, dois dias depois, mais de 60% da freguesia ainda está sem eletricidade. Mas o problema é também comum, à vizinha União de Freguesias de Quintã, Vila Cova e Pena, acrescentou.

Fonte da EDP Distribuição disse à agência Lusa que a linha que alimenta a Campeã tem 13 postes partidos na zona da serra do Marão e frisou que a empresa está a tentar, ainda durante o dia de hoje, repor a situação e colocar os postes e linhas no lugar.

A EDP esclareceu que, na quarta-feira, foram sentidas muitas dificuldades em aceder aos locais por causa das estradas cortadas.

A fonte referiu ainda que houve registos de falhas nos distritos de Vila Real, Bragança e Viseu, e que foram colocados nestes territórios 30 geradores de emergência na rede e duas centrais móveis para dar resposta às situações mais emergentes.

Jorge Maio disse que foi feito um intenso trabalho de desobstrução das vias, por causas das árvores que cederam ao peso da neve e do gelo, e referiu que esta freguesia possui mais de 30 quilómetros de vias internas.

Pelas estradas desta zona, hoje prosseguem os trabalhos de remoção dos ramos de árvores.